4

Há um ano, literalmente, estava começando a descobrir o México em uma das viagens mais especiais da minha vida. Esses quadrinhos trouxeram reconhecimento e confrontaram a minha própria percepção do que vi por lá, adentrando intensamente uma cidade que ainda não conheci: Oaxaca.

 

IMG_20200509_160709915_HDR

Ruínas

 

O quadrinho de Peter Kuper traça um paralelo entre a mudança de seu personagem em ano sabático para a cidade de Oaxaca com o processo migratório da borboleta monarca entre o Canadá e o México. Além do enredo que é interessante por si só, a maneira que Ruínas apresenta o México em seus cenários já valeria a leitura. Uma história de amor, viagem, mágoa, amizade e política, onde a cidade é o personagem principal.

 

 

IMG_20200509_160718309_HDR

Guadalupe

 

A incursão de uma das minhas poetas favoritas pelos quadrinhos não tinha me agradado tanto na época do lançamento, mas depois de alguns anos a perspectiva mudou um pouco. A road trip que Angélica Freitas e Odyr apresentam em Guadalupe acompanha a aventura da personagem título enquanto leva sua avó Elvira, que faleceu na Cidade do México, para enterrar em Oaxaca. O caos, o amor e a família ganham uma narrativa cheia de segredos a desvendar.

 

 


 

RUÍNAS – Peter Kuper – Editora Jupati – 2016

GUADALUPE – Angélica Freitas e Odyr – Editora Quadrinhos na Cia. – 2012

 


 

A viagem segue: Itália, Hollywood, México e o mundo todo