Abre Aspas / Especial HQ / Literatura / Questão de Opinião / Uncategorized

Sidney Gusman e os Quadrinhos como meio de comunicação

Com as previews da nova GraphicMSP, Gusman nos leva novamente para o mundo mágico da Turma da Mônica

* Por Meiri Farias

Ansiedade, curiosidade e empolgação. Sim, temos plena consciência que já se passou dez dias desde o fim da Copa do mundo, mas o assunto que trago até vós é de alta importância para toda a nação brasileira: Sidney Gusman liberou os previews da Graphic Novel do Bidu!

A parte toda essa formalidade, preciso confessar que a expectativa foi surpreendente. Falo isso em primeira pessoa sim, como fã confessa de todo o trabalho da Mauricio de Sousa Produções, até porque certos assuntos precisam ser tratados assim: de dentro para fora. Sem a preocupação com meras regras de estilo e linguagem, mas sem perder a relevância jornalística.

Evento no Facebook

Voltando aos fatos: Na semana passada, Gusman criou um evento no Facebook intitulado: Previews de Bidu – Caminhos, apontando que no dia 23

Arte de Daniel Zeppo para o livro “Sidney Gusman - Ilustrado”, que Sidney ganhou no FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos, e reúne diversos quadrinistas o homenageando.

Arte de Daniel Zeppo para o livro “Sidney Gusman – Ilustrado”

(conhecido mais efetivamente como ontem), postaria alguns teasers do novo lançamento do projeto GraphicMSP, que desde 2011 tem lançado releituras das historinhas de Mauricio feitas por novos artistas em formato Graphic Novel. Mas “Ansiedade, curiosidade e empolgação” se deu na interação dos usuários com o evento. Nesses bons cinco anos que participo do Facebook nunca tinha visto tanta emoção e participação dentro do ‘Face’. E olha que hoje em dia se faz evento para tudo (lembra do surto de eventos fictícios que aconteceu no último mês?), nada comparado ao nível de paixão dos fãs que aguardavam ansiosamente o lançamento de um pedacinho desse novo trabalho. Dizem que a internet esfria relações e afasta as pessoas. Será mesmo? Hoje mordi a própria língua e comecei a questionar essa “verdade absoluta”. Durante as horas que precederam o “evento” (marcado para 15h), a movimentação foi grande. Frases como “Ansioso!”, “Falta pouco”, e outras semelhantes fez com que cada usuário se sentisse naquelas filas enormes de bienal, tarde de autógrafos e encontros com autores, onde fãs empolgados dividem sua ansiedade. Nunca tinha percebido a rede social como uma forma tão efetiva de recriar um acontecimento da vida real de um jeito tão positivo.

Capa da nova GraphicMSP, Bidu  - Caminhos

Capa da nova GraphicMSP, Bidu – Caminhos

Todos esses internautas reunidos na ansiedade de ver o novo trabalho da MSP. Internautas esses que provavelmente cresceram lendo as aventuras da Turma da Mônica. Internautas esses, em sua maior parte adultos, crescidinho e SIM, obviamente leitores inquestionáveis de quadrinho.

 

PARA TUDO!

Mas quadrinho não é coisa de criança?

Mas Turma da Mônica não é coisa de criança?

Mas espera, esse desenho nem é do Mauricio de Sousa!

Quem é Sidney Gusman?

Errado, errado e certo. Para entender melhor essa euforia e responder essas perguntas você precisa conhecer quem é aquele moço que citei lá no início do texto. E vamos a ele: Sidney Gusman, ou Sidão como é mais conhecido pelos fãs da turminha, é o responsável pelo planejamento editorial da Maurício de Sousa Produções e principalmente, referência para entender e conhecer quadrinhos no Brasil.

Sidney Gusman no evento de finalização do "Fanzines nas Zonas de Sampa"

Sidney Gusman no evento de finalização do “Fanzines nas Zonas de Sampa”

No fim dos anos 80 o mercado de revistas em quadrinho estava em ascensão, e todo bom jornal tinha críticos para falar do tema em suas publicações. Como fã, Gusman criou o Jornal Mural com amigos da faculdade e escrevia suas críticas. Com textos elogiados veio a ideia: Por que não procurar uma redação de verdade? E assim com seus trabalhos embaixo do braço, Sidão visitou diversos jornais. Em cada um ouvia conselhos e dicas diferentes, até que na editora Globo recebeu uma proposta: Falar da relação de música e quadrinhos para publicar da revista Sandman. Nesse momento seu pensamento era “Cara, eu vou escrever sobre a minha paixão! É o meu hobbie que posso transformar em profissão”, dito e feito.

O Sidão também participou da TMJ 20!

O Sidão também participou da TMJ 20!

Desde desse dia, Sidão não passou nem um mês sem escrever sobre quadrinhos. Nas suas matérias, Sidney sempre dava enfoque em quadrinhos nacionais e tinha um objetivo claro: “Sempre tive uma obsessão meio maluca: Eu quero que quadrinhos volte a ser meio de comunicação de massa”, diz. Seu foco: atingir aqueles que já não liam mais quadrinhos. Assim publicou matérias que pudessem encontrar esse público: Ética dos jornalistas nos quadrinhos (Clark Kent e Peter Parker na berlinda!), quadrinhos e comida e até mesmo uma capa da revista Superinteressante sobre os cientistas dos quadrinhos. Paralelamente, trabalhou com comunicação empresarial, mas sem nunca deixar de escrever sobre sua paixão.

MSP

Mas foi em 2006 que escreveu o livro que mudou sua trajetória, “Mauricio – quadrinho a quadrinho”, onde contou como o Mauricio deixou de ser mais um leitor para se tornar o maior nome do assunto no país. E esse foi o passaporte do Sidão para a MSP.

Quando assumiu o planejamento editorial da Mauricio de Souza Produções, a empresa era a maior referência em quadrinhos e não tinha grande presença nos livros (para ter uma ideia de como isso mudou, na Bienal desse ano serão lançados 31 livros da MSP). Edições comemorativas foram lançadas, mas o boom veio mesmo em 2009 com o lançamento da MSP 50, livro que comemorou e homenageou os 50 anos de carreira do Mauricio. Reunindo 50 artistas para desenhar os personagens da turminha em estilos diferente, a ideia fez tanto sucesso que resultou em mais dois livros (MSP + 50 e MSP Novos 50). “Eu coloquei esses artistas na maior vitrine de quadrinhos nacional”, conta.

ALBUNS_MSP50

MSP 50

Unindo o útil ao agradável, lançar artistas novos e resgatar aquele público perdido, surgiu o projeto GraphicMSP: “Você tem ideia do tanto de leitor no Brasil que de quadrinho só leu Turma da Mônica? A ideia é ampliar esse mercado e mostrar esses artistas”, explica. No fim todo mundo saiu ganhando: os artistas ganharam novos leitores, que interessados nas releituras acabam procurando seus outros trabalhos, a MSP resgatando os leitores mais velhos, que já não liam tanto a turma clássica como antes e fortalecendo o mercado de quadrinhos no Brasil, e principalmente, nós leitores que ganhamos trabalhos lindos e criativos que apresentam novos formatos, novos traços sem perder a magia e beleza que a turminha lá da nossa infância deixou de memória afetiva.

GraphicsMSP já lançadas

Além do trabalho com a MSP, Sidney Gusman é editor chefe do Universo HQ (site indispensável para fãs de quadrinhos e o principal especializado da América Latina) e ganhou oito vezes o Troféu HQ Mix, uma das mais tradicionais premiações dos quadrinhos brasileiros.

**Sidney Gusman palestrou no evento de finalização do “Fanzines nas zonas de Sampa”. não leu a matéria? veja aqui

Nota: Com a iminência do lançamento da Graphic do Bidu, vamos relembrar a primeira tirinha publicada pelo Mauricio? Há 55 anos, no dia de 18 de Julho começava a historinha do Bidu e do Franjinha publicada pela Folha de São Paulo

Primeira tirinha publicada

Primeira tirinha publicada

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s