Arte / Dica de segunda / Listas / Música / Questão de Opinião / Uncategorized

Os 15 Livros nacionais lançados em 2014 que nós precisamos ler

*Por Beatriz Farias

O Natal está quase aí, mas isso não significa que (a escravidão) o trabalho acabou, por isso, voltei como prometido para falar dos livros lançados esse ano que de alguma forma tiveram importância para o nosso país, o que não significa necessariamente que o livro é um best-seller, mas que o seu lançamento merece a nossa atenção.

Os critérios são os mesmo que o da lista da semana passada: não li todos os livros, mas acredito que todos citados tem importância para a nossa literatura, e dessa forma nos convido a ler nessas férias. Vamos juntos?

-Adriana Falcão: Queria Ver Você Feliz 

4

O livro se passa através de cartas reais que contam a história de Caio e Maria Augusta, pais da autora. O título e a capa me pegaram de jeito, comecei a folhear em uma livraria e lembro de passar por uma frase semelhante a: “se você não responder essa carta vou acreditar que realmente não se importa com a minha existência”. Me encanta ver essa coragem em uma história não ficcional.

Leia um pouco da sinopse: “Mais do que uma história com um final dramático, trata-se de memórias afetivas que alternam momentos de intensa felicidade e outros tantos de dor, como acontece nas melhores famílias.”

-Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho: Bidu, caminhos (Graphics MSP)

5

Nunca tive animais de estimação e mesmo assim essa história me comove talvez pela ausência de um bichinho, ou porque simplesmente é uma história muito bem amarrada. O ponto forte pra mim são as cores e o layout, atente-se para a forma como os quadrinhos e as onomatopeias foram expostas. Impossível não gostar.

A Meiri Farias falou dele aqui.

Leia um pouco da sinopse: “Em ‘Caminhos’, os autores reimaginam de modo belíssimo a forma como Bidu e Franjinha, os dois primeiros personagens criados por Mauricio de Sousa, se tornaram melhores amigos. Uma aventura cheia de problemas, surras, desvios de rota, chuva, cachorros, decisões difíceis e ternura.”

-Chico Buarque: O Irmão Alemão

1O que mais surpreendeu a minha pessoa não foi Chico ressurgir depois de alguns anos sem lançar nada, mas a rapidez e eficiência da editora (aqui tiro meu chapéu para a Companhia das Letras), que fez o anuncio do livro perto de seu lançamento, impedindo ataques de alguns fãs mais empolgados, e ainda fazendo vídeos com o próprio lendo alguns trechos. O livro já está na minha estante esperando uma brecha para ser devorado.

Leia um pouco da sinopse: “O novo livro de Chico Buarque é um romance em busca da verdade e dos afetos. […] A narrativa de Chico se faz mais daquilo que escorre entre as palavras, do que com as verdades que elas costuram.”

 -Luara Almeida: Carolina sua Vida vai ser Linda

13

O livro foi viabilizado via financiamento coletivo conta a história da bisavó de Luara: Carolina Seixas. Com traço delicado, essa capa grandiosa que mescla foto com desenho, aqui está um bom exemplo da diversidade de ideias possíveis em uma história em quadrinho.

Veja a entrevista com Luara aqui.

Leia um pouco sobre o livro: “A proposta é utilizar a paixão de Luara pelos quadrinhos para relatar o encontro entre o passado e presente na relação com a bisavó e suas experiências no país. Desmontando clichês e trazendo um tema incomum para o universo dos quadrinhos, o trabalho apresenta relevância histórica e social ao resgatar culturalmente hábitos e cenários de outra época.”

-Pedro Bandeira: A Droga da Amizade

11

Quando pequena, via minha irmã lendo a coleção “Os Karas” e sonhava com o momento em que leria também (minha mãe dizia que não era pra minha idade). A história que fez parte da pré adolescência de  muita gente ganhou volume novo este ano, e para quem quer entender como tudo começou aqui está a oportunidade (mesmo a capa não sendo das melhores, e o papel usado também não).

Leia um pouco da sinopse: “Como Miguel começou a Turma dos Karas? Como conheceu e por que escolheu Magrí, Crânio, Calu, Chumbinho e a americana Peggy para formar esta turma tão especial? Como cada um deles demonstrou ao líder dos Karas que era uma pessoa especial, tanto pela coragem, quanto pela honestidade, pelo caráter e pelo desejo de mudar o mundo para melhor? E o que terá acontecido com eles depois de todas as aventuras que estes sete heróis viveram? “

-Fernanda Nia: Como eu Realmente

7

Depois do sucesso das tirinhas on-line, Fernanda Nia reuniu neste livro algumas já publicadas e muitas outras inéditas. Ótimo para dar de presente (se você já tem, claro, se não, corra!), não há como não se identificar com a sua forma de falar do cotidiano; para descobrir que não é só você que pensa nas coisas mais estranhas nos momentos mais inoportunos!

Veja a entrevista com Fernanda Nia aqui.

Leia um pouco da sinopse: “Nem sempre o que esperamos é o que realmente acontece na vida real. Para combater a constante quebra de expectativas ao seu redor, Niazinha acabou desenvolvendo uma imaginação um pouquiiinho criativa demais…”

-Fernanda Torres: Sete Anos

14

Tentei explicar porque parece importante esse livro está na lista, falhei feio apenas colocando adjetivos que não explicariam. Fique com algo que diz mais:

” ‘As crônicas aqui reunidas foram escritas ao longo de sete anos e contam a história do meu noviciado’, diz a autora na apresentação do livro. ‘Desenvolver uma ideia dentro de um espaço determinado de linhas, falar de temas de interesse comum sem abrir mão do tom pessoal e dar valor à concisão são algumas lições que tomei do jornalismo.’ […] ‘Poder escrever que vinte elefantes entraram em um quarto é uma libertação para alguém acostumado à rotina teatral’, diz Fernanda. ‘As letras têm me feito grande companhia.’

Da plateia, os leitores agradecem.”

-Eu me Chamo Antônio: Segundo

3

Confesso que não me interessei a princípio pelo livro, já que a emoção do primeiro ainda estava forte em mim, e também por essa capa, que não acho de muito bom gosto. A vontade começou a crescer ao ver as diferenças que tem em relação ao primeiro, como textos e um design mais caprichado.

Leia um pouco da sinopse: “Em ‘Segundo – Eu me chamo Antônio’, além de frases irreverentes e poéticas, o personagem abre para o mundo as páginas do caderno em que escreve fragmentos de textos – alguns de seus pensamentos mais profundos – e explora sua criatividade brincando com frases e esboços rabiscados nervosamente. A arte de Pedro Gabriel expande-se para além dos guardanapos em ilustrações inéditas que pontuam essa nova obra.”

-André Sant’Anna: O Brasil é Bom

10

Encontrei esse livro na minha procura louca por algo que apeteça a vontade de falar do Brasil de forma ainda não dita. Encontrei a seguinte frase acompanhada da capa (que dispensa comentários): “para alfinetar a classe média”. E pensei: “É esse! É agora!”.

Leia um pouco do que foi dito no Correio Braziliense aqui: “O desencanto tem sido um companheiro para o escritor André Sant’anna e boa parte desse sentimento está nas crônicas e nos contos de O Brasil é bom, recém-lançado pela Companhia das Letras. Na primeira parte, abrigados sob títulos irônicos como O Brasil não é ruim, Amando uns aos outros e Comentário na rede sobre tudo o que está acontecendo por aí, estão os contos nos quais o autor não dispensa a linguagem escrachada para tratar das mazelas brasileiras.”

-Vitor Cafaggi: Valente para o que Der e Vier

9A coleção “Valente” foi sem dúvidas a coisa mais interessante que li esse ano. “Valente para o que der e vier”, último volume lançado (até o momento) tem texto fácil de ler, situações que tentamos esconder da nossa realidade e não conseguimos, e os desenhos de Vitor Cafaggi, que dispensa qualquer comentário. Para ler e reler nas férias, agradecendo as coisas simples da vida.

Veja o que já falei a respeito desse quadrinho aqui.

Leia um pouco da sinopse aqui: “Depois de uma vida inteira de amores platônicos, Valente está apaixonado por duas belas garotas que também gostam dele. Definitivamente, suas tardes de sábado jogando RPG não o prepararam para essa situação. Beijos, empadas e corações partidos na épica conclusão do triângulo amoroso Dama-Valente-Princesa!”

-Rodrigo Alvarez: Aparecida

APARECIDA_capa.pdf

Independente de religião ou crença, esse livro têm um grande valor histórico para o nosso país. Se trata da santa padroeira do Brasil, riqueza da nossa cultura, história importante de se conhecer. Com diagramação de qualidade, e fotos novíssimas, vale a leitura para os curiosos ou devotos.

Para aumentar a vontade de ler, esse subtitulo divertido: “A biografia da santa que perdeu a cabeça, ficou negra, foi roubada, cobiçada pelos políticos e conquistou o Brasil”.

-Danilo Beyruth: Astronauta Singularidades (Graphics MSP)

6

Parece obsessão (é um pouco sim), mas tem a ver com a importância que esse projeto teve. O que eu vi de gente falando que voltou a ler quadrinhos da turma da Mônica por causa das Graphics MSP não é de se contar nos dedos. O que minha pesquisa de campo constatou até o momento é que o Astronauta II parece mais legal, e bonito que o I, não tenho em mãos ainda, mas a julgar pela fila de autógrafo do autor na CCXP…

Leia um pouco da sinopse: “Em Astronauta – Singularidade, o herói investiga um buraco negro, mas o que era uma missão científica se torna uma aventura muito perigosa. E, desta vez, ele não está sozinho em sua nave.”

-Martha Medeiros: Paixão, Liberdade e Felicidade crônica

15

Julgado por quem vos fala como o melhor presente de natal, este box com três livros da Martha Medeiros é algo importante para ter em casa. Suas crônicas têm uma forma muito particular de falar com o leitor, e juntando felicidade, paixão e liberdade você está perto e encontrar o manual da vida.

Sobre Felicidade Crônica: “Os 20 anos de cronista de Martha Medeiros estão pontuados por questionamentos acerca da natureza da felicidade. Por lembretes para que busquemos a felicidade sempre, em todos os momentos. Por constatações de que a felicidade, muitas vezes, chega de mansinho e é preciso um olhar treinado para avistá-la.”

Sobre Paixão Crônica: 101 crônicas sobre amor e dor, sexo, homens, mulheres e assemelhados.

Sobre Liberdade Crônica: Este volume reúne as melhores crônicas de seus 20 anos de carreira sobre A mulher contemporânea, Livros, filmes, músicas etc, Fé e equilíbrio, No divã e Sociedade, e debate nossa eterna luta para combinar a ânsia por liberdade com nossas demais aspirações. ”

-Bianca Pinheiro: Bear

8

 

É o último quadrinho, prometo! Com esse livro você tem a forma mais fácil de se encontrar a fofura, eu que não gosto desta palavra simplesmente fiquei sem o que dizer deste exemplar. O talento da quadrinista somado à sensibilidade da editora Nemo conseguiram criar algo que crianças e adultos vão gostar por muitas gerações.

Veja o que falei sobre ele aqui.

Leia um pouco da sinopse: “A pequena Raven tem um problema: de algum modo ela conseguiu se perder de seus pais e de seu lar. Em sua busca, ela se depara com um urso marrom (ou seria alaranjado?) que, apesar de rabugento, aceita ajudá-la nessa empreitada. A jornada desses dois acaba de começar.”

-Gregorio Duvivier: Put Some Farofa

2

 

O autor do meu livro favorito (Ligue os Pontos) lançou esse ano novo livro com esquetes do Porta dos Fundos, textos inéditos e suas crônicas para a Folha de S. Paulo. Ainda não tive a oportunidade de ler, mas acompanho semanalmente os textos do jornal, e normalmente gosto do que leio.

Leia um pouco da sinopse: “Se Gregorio traz o raro dom da multiplicidade, tendo se destacado no cenário cultural brasileiro ao mesmo tempo como ator, roteirista, comediante, cronista e poeta, também múltiplo é este volume, que transita entre ficções, memórias de infância, ensaios sobre artistas que o influenciaram, artigos panfletários, exercícios de linguagem e outras experimentações. Os textos vão da pauta que está sendo debatida naquele dia no jornal ao completo nonsense; do amor ao ódio, do íntimo ao universal. No conjunto, o que espanta no autor é o frescor, a coragem, a visão transformadora e, sobretudo, a capacidade inesgotável de se renovar a cada semana, contando sempre com a inteligência e a sensibilidade do leitor.”

 

*Beatriz Farias não é formada, não tem curso superior nem vergonha de escrever em terceira pessoa fingindo que não é ela. Gosta de gostar das coisas e são dessas coisas que ela fala aqui.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s