Abre Aspas / hq / Literatura / Questão de Opinião

Bear: O fantástico mundo da cabeça de Bianca Pinheiro

4

* Por Beatriz Farias

Após o choque de fofura que Bear um trouxe em meados de Agosto do ano passado, a impressão que se dava, é que qualquer coisa que Bianca Pinheiro tentasse fazer passaria dos limites. Após folhear o livro recém chegado, me deparava com a esmagadora vontade de encontrar-me com Raven (irmã gêmea minha, um pouquinho mais madura) mais uma vez e o medo de que o segundo volume passasse da dose no quesito inocência. A ingênua arrogância em que estava envolvida não me permitia ver que a leveza da autora nunca é sobressalente, mais que nunca essa história está na medida.

Ainda em busca dos pai1182-20150224162559s, a menina com um dentinho a menos conta com seu fiel companheiro Dimas (que é um urso) para solucionar o caso. Dessa vez, vão parar em uma cidade onde todos viram crianças, e daí em diante precisam lidar as dificuldades que é não ter ninguém para dizer o que fazer, preparar o leitinho, limpar a bagunça… essas coisas que os pais tem o dom de colocar no lugar.

A narrativa é leve mas não por isso menos reflexiva, com o passar do livro, somos instigados a olhar mais de perto o caráter de cada personagem e em especial nesse volume, o que representa a infância – tanto na ausência quanto ao excesso – e assim a gente se observa um pouco também. Já os cenários (as cores, os traços…) nos levam ao fantástico mundo da cabeça de Bianca Pinheiro, onde não existe limites ou impossibilidades. E mesmo com todo o lúdico, as páginas são confortáveis e aconchegante com esse carinho todo que a HQ proporciona de após um dia caótico simplesmente adentrar as cidades mais loucas, conversar com uma capivara e todas as suas comilanças, conselho, entre outros sonhos que aqui realizamos. Não dá pra saber como (ou se) a Raven achará sua casa, mas a certeza é que esse livro é sim um pouco de lar pra quem se deixa encontrar.

Para completar essa resenha, confira a entrevista que fizemos com Bianca Pinheiro, a culpada de tudo isso aí que eu falei.

Armazém de Cultura: Bear começou com uma webcomic e já está chegando a seu segundo volume publicado. Como foi ver a transposição dos seus personagens da rede para o papel? Agora, lançando o segundo, qual é a diferença em relação ao anterior?

Bianca Pinheiro: Ah,foi tranquilo. foi emocionante, hahaha! agora, do segundo pro primeiro volume a diferença está na sequência da história. A trama principal já está colocada e todo mundo já conhece os protagonistas; eu não precisei mais me preocupar com apresentações. A partir de agora, é só focar na história. Mas acredito que a maior diferença virá no terceiro volume, que será o primeiro que sairá apenas impresso, o que me dá um outro tipo de liberdade. Até agora, eu tive que pensar nas páginas para web. Podia usar recursos como animações com as gifs, mas ao mesmo tempo perdia a possibilidade de páginas duplas, por exemplo. E também, por ser webcomic, até agora as páginas todas foram pensadas tendo um pequeno desfecho (mesmo que mínimo) em si mesmas, para que, vendo uma página por semana, o pessoal sentisse uma certa satisfação de ver algo ser finalizado. Com o volume três saindo apenas impresso, eu não precisarei me preocupar com isso. as viradas de página ganharão um novo objetivo!

XQF6icv

AC: Como foi o início de Bear, poderia nos contar um pouco?

Bianca: Comecei a fazer uma webcomic principalmente para me forçar a produzir. Como eu me comprometi a entregar uma página por semana, eu tinha que, toda semana, preparar uma página. Ajudou muito a aprimorar a minha agilidade nos desenhos e o meu compromisso com a HQ.

A história em si partiu do princípio de que eu precisava de algo que pudesse se estender ou encurtar conforme eu precisasse. Por isso decidi que seria uma jornada. os capítulos poderiam entrar e sair de acordo com a necessidade. Então só o que eu tenho definido desde o começo é o início da história (que agora vocês já conhecem) e o final. O meio do caminho eu vou inventando!

AC: Em seus outros trabalhos, Dora por exemplo, tanto a temática quando o desenho, são bem diferentes de Bear. Como é lidar com trabalhos tão distintos?

Bianca: Puxa, isso é muito curioso pra mim. muita gente me pergunta a esse respeito e eu confesso que não sei responder propriamente. É… normal pra mim, sabe? eu penso em muitas histórias o tempo todo e elas variam completamente entre si. Bear, inclusive, é a primeira história “tranquila” que escrevo, acredita? geralmente as histórias mais sérias me vêm com mais facilidade. Mas não encontro dificuldade nenhuma em sair de um e ir para outro, não. São histórias diferentes e transito tranquilamente entre elas, hehehe.

AC: Ainda nesse assunto, Dora foi lançado via financiamento coletivo, certo? Poderia nos contar um pouco como foi essa experiência?

Bianca: Sim, Doratumblr_n9lgze5i7f1r52u3qo1_1280 foi meu primeiro lançamento independente, financiado pelo Catarse com o apoio de pouco mais de 300 pessoas. Foi doido! eu não tinha noção nenhuma do trabalho e da responsabilidade que é ter todo o livro nas suas mãos. Ter que embalar mais de 300 livros e enviá-los pelo correio, hahaha! a grande vantagem, é claro, é que eu tenho total controle sobre esses livros. Sei quantos vendi, por quanto vendi cada um deles e o valor de venda é sempre integral para mim. Foi uma experiência reveladora nesse sentido. é extremamente trabalhoso cuidar do envio de livros em um país continental como o nosso. Mas foi legal, o contato com os leitores é bem mais direto. O pessoal tem que me mandar e-mail pra comprar o livro comigo, por exemplo. E em eventos sou eu mesma quem faço as vendas. Isso é mágico!

AC: A noção de que quadrinho é coisa só de criança vem sendo desmistificada (ainda bem!). Você que faz quadrinhos com temas tão diversos, se vê participante dessa “nova” forma de se lidar com HQ? O que pensa a respeito?

Bianca: Bem, acho que como eu estou publicando nessa “nova forma”, hahaha, eu sou participante de qualquer modo. Qualquer um que esteja fazendo quadrinhos atualmente faz parte do novo cenário. Agora, sobre ser ou não para crianças, bem, com Bear eu encontro muita gente dizendo que eu também faço quadrinhos infantis. Mas é curioso, porque eu nunca penso em crianças quando escrevo Bear. Eu faço uma HQ que eu gostaria de ler, sabe? é como eu faço com todas as minhas histórias. Mas talvez o fato de haver uma criança e um urso falante como protagonistas passe a ideia de ser uma HQ infantil (ser colorida também ajuda, hahaha!).

Eu acho que quadrinhos, como toda forma de expressão artística, não tem gênero, raça ou idade. É uma questão humana. humanos decidem se expressar de várias maneiras. Eu escolhi as histórias em quadrinhos. Aos poucos o pessoal vai percebendo isso.

AC: Vemos cada vez mais meninas produzindo e publicando quadrinhos! Você percebe um incentivo atual para que isso aconteça ou o mundo dos quadrinhos ainda é um tanto machista?

Bianca: O maior incentivo que pode haver para uma mulher que quer ser quadrinista, a meu ver, é ver outras mulheres publicando. Na maior parte das vezes, uma menina que decida ser quadrinista receberá mais desencorajamentos do que apoio. Isso porque muita gente acha que é mais normal dos meninos se arriscarem em algo incerto do que as meninas (e as crianças são educadas assim, muitas vezes). Quadrinhos, como toda forma de arte, é algo incerto demais para os adultos preocupados ao redor. Então uma menina receber o apoio para seguir essa carreira desde cedo me parece relativamente raro. Por isso que acho que a melhor coisa que pode haver para elas são outras mulheres produzindo. elas ficam com a sensação que eu senti quando conheci mulheres quadrinistas: “se ela pode, eu posso também”.

biancapinheiro

AC: Para encerrar, quais são os planos para Bear agora?

Bianca: Por enquanto estou focada no volume três, que gostaria que saísse ainda esse ano. Pretendo que a série tenha sete ou dez volumes. vamos torcer pra dar certo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s