Recortes! / Talita Guimarães / Uncategorized

Recorte: Wesley

Recorte


*Por Talita Guimarães

O menino pensativo olha pela janela do ônibus em movimento. O que será que pensa o menino com seus olhinhos cor de mel cerrados e seus cabelos castanhos molhados espetados pra cima? O sol desce pelo céu com seus raiozinhos dourados para o espiar o outro lado do mundo. No caminho toca a face de cenho franzido da criança, que tem a mão no queixo e um olhar longe.

8bd1099b-9eac-497b-9010-5b82c8a5b819

Arte: Talita Guimarães

Sentado no assento à minha frente, o menino de seus dez ou onze anos que derrama o olhar pela janela, é uma figura que contempla o mundo com aquele ar de quem viaja para dentro de si mesmo.

Sua aura emana uma energia tão reflexiva que me pego interessada em seus pensamentos, esse território absolutamente particular e fascinante onde cada um de nós habita inteiramente só.

Contemplo o menino longamente, impressionada com sua capacidade de não se desviar de si mesmo. Quando penso em desviar o olhar a fim de não causar embaraços com minha observação, um movimento súbito no banco à sua frente me captura.

– Tá chegando? – pergunta animadamente uma garotinha com os cabelos divididos em quatro marias-chiquinhas – duas no topo da cabeça, duas próximas à nuca. As mulheres sentadas próximo a ela no ônibus sorriem. Uma delas informa que faltam duas paradas. Sorridente, a pequenina ajoelha na cadeira abraçando-se ao encosto e dirigindo-se ao menino contemplativo, que a essa altura surpreende-me por não mais estar compenetrado na janela, mas encostado no banco aparentemente adormecido.

– Wesley! – chama a garotinha e como ele não atende ela começa a dizer que ele está fingindo dormir. Só então me dou conta de que o menino não está sozinho, mas com a garotinha e a senhora sentada com ela. A parada deles se aproxima e é a mesma minha. Levanto-me ouvindo os protestos da garotinha que começa a achar que o irmão (?) vai ficar pra trás.

Wesley mantém-se de olhos fechados, sentado à janela, até o ônibus parar. Fito-o uma última vez ao passar por seu banco e reparo que há um sorrisinho em seu rosto supostamente adormecido.

Detenho-me na reação da garotinha que parece ao mesmo tempo fascinada e assustada com Wesley, cuja ousadia em esperar o ônibus parar para levantar flerta com o risco de não dar tempo de descer. Quando ela já vai sendo puxada pela mulher degraus abaixo é que Wesley “desperta” e desce do ônibus atrás de mim, arrancando da irmãzinha (?), que já espera na calçada, aquele sorriso orgulhoso digno de quem se extasia com a vitória de seu heroi.

Tomo meu rumo avenida acima e meus passos apressados abrem distância entre nós. Perto de mim contudo, a o menino pensativo e a garotinha maravilhada seguem comigo a postos para me lembrar que contemplar, ousar e se admirar fazem parte do caminho.


Recorte 1

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s