Abre Aspas

Os desenhos de José Narciso precisam de um lar

Abre Aspas

*Por Meiri Farias

A arte de José Narciso vem de casa. Desde o avó, todos os homens da família sempre gostaram de desenhar e essa “herança” familiar sempre o motivou e instigou. “Desenhar é um alívio, onde eu posso criar o que eu quiser, e ter controle sobre minha criação”, explica o artista que tem particular interesse pelos contrastes do mundo animal. “Acho fascinante a complexidade de animais minúsculos e a simplicidade de animais enormes. Gosto de opostos!”

Atualmente, o artista expõe seu trabalho na página “Meus desenhos precisam de um lar” (Facebook e Tumblr) e conta para o Armazém sobre sua necessidade de explorar seu gosto pessoal nos desenhos, muito além de própositos comerciais. “Se destina a me agradar, saciar minha sede de arte, se alguém gostar, é um brinde.”

Confira entrevista completa!

 

14117956_198170323933600_2962401201007384122_n

Armazém de Cultura: O nome da sua página “Meus desenhos precisam de um lar” é muito sugestivo e agrega novas possibilidades de interpretação. Quando desenha, você consegue fazer uma relação do seu trabalho com o “lar” que vai recebe-lo? Como lida com essa questão de adentrar o lar – físico e emocional – das pessoas por meio de sua arte?

José Narciso: É uma pergunta muito interessante, quando iniciei meus trabalhos não tinha percebido a magnitude dessa interpretação, mas vejo na minha rotina uma preocupação muito grande com o que vou produzir, e principalmente com a qualidade. Além disso, a produção permeia meus gostos, é um trabalho bem pessoal, não se destina a um meio comercial com um único propósito de vender. Se destina a me agradar, saciar minha sede de arte, se alguém gostar, é um brinde.

AC: Como começou a desenhar? o que te leva a desenhar, o que mais inspira?

José: Comecei a desenhar bem cedo, nem lembro a idade. A arte sempre esteve presente na minha vida. Desde o meu avô (que não conheci) até eu, todos os homens da família gostam de desenhar (Meu pai e meu irmão). Isso sempre me motivou e me instigou.
Desenhar é um alívio, onde eu posso criar o que eu quiser, e ter controle sobre minha criação. Minha maior inspiração é o mundo animal. Acho fascinante a complexidade de animais minúsculos e a simplicidade de animais enormes. Gosto de opostos!

14590375_229518924132073_4155848742583996392_n

AC: Os quadros são individuais, mas criam uma sensação de continuidade (talvez pela disposição das obras no Tumblr). Existe uma intencionalidade narrativa no que desenha? uma relação de continuação entre uma obra e outra?

José: Não existe de forma direta, mas os quadros seguem uma linha pessoal de prática. Às vezes gostei de uma disposição, composição, e reaplico elas nos próximos quadros.

AC: Quais técnicas utiliza no trabalho? prefere uma paleta de cores especifica?

copy-of-era-como-se-a-historia-ja-existisse-e-so-transcrevesse-pro-papel-quis-que-as-sensacoes-fossem-alem-da-descricao-psicologica-do-autor-mas-que-quem-estivesse-lendo-pudesse-imaginar-os-sabores

José: No início do meu trabalho, utilizava papel e nanquim. Depois passei pro nanquim e aquarela, e por último acrescentei o giz pastel. Atualmente faço todo meu trabalho utilizando a pintura digital. Recentemente comprei uma Wacom (Mesa digitalizadora) e to aproveitando MUITO ela !

As minhas paletas são de acordo com a complexidade das composições. Composições mais simples eu costumo manter uma paleta ‘’fixa’’ de no máximo duas cores, normalmente vermelho e bege. Já composições complexas eu faço um estudo maior de cores, procuro referências de outros artistas e faço várias experimentações

AC: Algum artista ou movimento influenciou diretamente a sua arte? Seja na pintura mesmo ou em outras linguagens, como música, literatura, etc.

José: Gosto muito de ilustrações antigas do século XIX, especialmente as do Gustave Doré. Foi uma época que muita coisa interessante foi produzida, os livros de anatomia, as ilustrações biológicas. Tudo isso me fascina.

AC: Você apresenta o trabalho por meio da página no Facebook e no Tumblr, trazendo a arte para um meio efêmero como a internet. Há espaço para arte na rede? quais as principais vantagens e desvantagens em expor (talvez vender) o trabalho dessa forma?

José: Há espaço sim para a arte na internet! Principalmente arte independente. A arte, até hoje, foi algo meio elitista, tanto para se consumir quanto para produzir. Hoje em dia, pode-se achar muito conteúdo de arte e ilustrações de toda parte do mundo, é muito material interessante disponível.

Não pago nada para expor meu trabalho para o mundo todo, e se alguém quiser pegar uma imagem do meu trabalho, também não paga nada. Talvez seja essa a desvantagem.

14469565_210966372653995_8752697148849254165_n

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s