Dica de segunda

Playlist: aniversário Beatriz Farias

Logo Dica de Segunda

*Por Beatriz Farias

Antes de querer fazer todas as outras coisas, tive vontade de fazer música. Talvez porque meu pai me ensinou a importância das pessoas tímidas se comunicarem através de uma letra que não tinham feito, mas que cabia. Porém depois chegaram os poemas, as crônicas e eu fiquei me perguntando o que era diferente na música, pra não se bastar nos outros formatos. Tentei tocar instrumentos para ver se a ausência da letra me deixava mais longe de achar que a música era de fato uma possibilidade de salvação incontestável, e assim, ter que me dedicar de corpo e alma a isso. Percebi que para gostar, tocar não bastava. Sofri enquanto descobria como não trabalhar efetivamente com música poderia me fazer abraçar a canção e o quão nocivo era carregar debaixo do braço um instrumento sem a mínima noção do que estava fazendo de mim.

É que música é corpo, e sempre me parece olhar no espelho de Narciso chegar nesse espaço usando o “eu”, “para mim” e “no meu caso”, mas a sorte mesmo, senhoras e senhores, é que a canção tem o poder de colocar as coisas em níveis universais e específicos. Então o que conto pode não lhe causar identificação ou interesse, mas se eu disser que fiz uma lista para ver se entendo um pouco mais de mim, acho que vai te bater em algum lugar. Acho que pode te dar vontade de fazer uma lista também.

playlist AC- (1)

Decidi pensar em dezoito horas, por ser o número de vida que completo esta semana, e a principio achei que seria mais fácil. O curioso é imaginar o quanto me julguei depois de certo tempo, quando já havia colocado todas as músicas óbvias que fazem parte de quem eu sou e são fáceis de identificar como preferida. Daí foi necessário – e que bom – começar a pensar naquilo que gosto e não conto, ou que não acho que venha o caso. Interessante pensar como o que não vinha ao caso poderia ser o que faltava de beleza na playlist.

Comecei pensando no que me faz dizer quem eu sou, mas depois o que me faz querer dançar, o que me faz chorar, o que me faz seguir, o que me faz querer subir na mesa com a garrafa de vinho na mão e aqui estamos agora. Cabe tudo, só não tem espaço pra quem acha que “música é boa ou ruim”, ou quem acredita num gênero “de qualidade” e na marginalização do que não entende. Tem letras que eu não compreendo o significado, mas amo porque faz com que eu me sinta viva (ou porque inventei um significado aleatório mesmo), tem canção que já usei para me declarar. Tem música que me fez levantar da cama. E acho que mais do que fazer um texto falando da razão pela qual você deveria ouvir minha playlist, eu acredito que quero te convencer do motivo pelo qual colocar algo pra tocar ainda é importante. Relembramento de que estamos vivos.

E o melhor, chegar no final não sabendo bem ainda quem se é, mas percebendo que tudo é caminho, tudo faz parte.


Perfil Bia

Beatriz Farias: Tumblr | Instagram

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s