Recortes!

405!

Logo Recorte

*Por Talita Guimarães

Começa com o convite da repórter para falar sobre a relação do meu livro com a cidade. E continua enquanto a conto sobre o desafio que é amar São Luís do Maranhão.

b190189a-93a2-440e-88ea-b5e43995aa33

Arte: Talita Guimarães

A sensação de que sou uma ludovicense que pertence de fato a cidade que me recebeu em minha chegada ao mundo ganha uma força nova que até então me passava despercebida.

Semana passada – os estimados leitores devem recordar – completei 28 anos. Amanhã (08/09/2017), a cidade onde nasci e moro desde então chega aos 405.

Não sou de cantar azulejo, tampouco simpatizar com certos epítetos – a meu ver – ultrapassados. Por isso, esta crônica não é uma homenagem. Mas uma constatação. De que minha cidade natal habita em mim tão organicamente que a reporto por infindáveis recortes sobre sua gente, suas cenas e paisagens com uma frequência que só demonstra o quão musa onipresente para meus textos São Luís me é.

Território pra lá de quatrocentão por onde transito há somente 28 anos, a capital maranhense exigiu-me esforço para aprender a registrá-la com olhos amorosos. Não foi lugar que me conquistou desde a tenra idade. Não é terra de vida fácil, onde as oportunidades brotam de todos os cantos e escadarias e a gen2017 - Aspas_Recorte.jpgte vive feliz e bronzeado dançando reggae na beira da praia entre um gole e outro de tiquira.

Minha vida aqui pelo menos nunca foi assim.

 

Nunca toquei um par de matracas ou sequer comi caranguejo feito em casa. Sou uma maranhense culturalmente pouco praticante, por assim dizer.

Mas isso não significa que eu não seja uma ludovicense de raiz, que reconhece a cidade como seu lugar no mundo. Assim como também não me impede de legitimamente sentir o que é viver aqui e aprender a lidar com tudo o que aqui há. Dos incontáveis desafios urbanos às mais modestas belezas e surpreendente força cultural. Dos suados avanços às suplicantes necessidades de melhoria. Sinto-me responsável pelo lugar onde nasci. E a gente só se sente assim por quem a gente ama e quer ver feliz.

Fato que a minha São Luís não é a que vocês talvez conheçam dos cartais postais – ou das novelas globais. Quem já leu Recorte! ou me acompanha por aqui pelo Armazém de Cultura, conhece a São Luís que vejo das janelas dos ônibus. E meus ônibus não circulam pela orla.

Transitando por dentro dos bairros, saindo sempre da periferia na região metropolitana rumo ao centro, a São Luís que ambienta e inspira minhas narrativas é uma ilha rebelde (talvez única alcunha possível para a minha cidade), que fala pelos bueiros e revela quem também é através dos bafos quentes que sopra a todo instante dos recônditos mais insuspeitos de si mesma. Do asfalto pelando da Avenida Jerônimo de Albuquerque, dos meio-fios sujos dos bairros sem saneamento, das calçadas fedidas da feira do João Paulo sim, mas também dos ipês que adornam o trânsito pesado da Guajajaras, da algazarra estudantil que ronda o Monte Castelo, da maravilha fantástica que é a travessia da ponte Bandeira Tribuzzi. Da estrada de onde se veem os aviões fugirem daqui à pracinha que te acolhe para um sorvete no meio do expediente.

São Luís do Maranhão é o que vejo da hora que pego meu ônibus ao amanhecer até a hora que me despeço da nova Forquilha já de noite.

O que sinto do momento em que a criança interage com o vendedor de jujuba embarcado ao segundo em que um engraxate descalço passa por mim.

É o que acontece comigo quando saio da bolha do fone de ouvido e escuto os artistas mambembes que enchem o ônibus de música.

Aos 405 anos, São Luís é quem sua gente a elabora.

Porque a cidade nasce das pessoas que nela nascem.

E se transforma pelas mãos de quem nela vivem.

Termina quando a repórter me avisa que a matéria vai sair no dia do aniversário da cidade.

E me dou conta de que amo a São Luís que hoje flui em mim.


Perfil Talita

Talita Guimarães: Ensaios em Foco | Instagram | Twitter

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s