playlist

Las canciones de Jorge

*Por Meiri Farias

Fazer uma curadoria das canções de Jorge Drexler é um projeto antigo. Para além de uma obsessão pessoal pela obra do cantautor uruguaio, acredito que suas canções tem o tipo de versatilidade que dialogam entre si e costuram linhas narrativas na imaginação. Pelo menos na minha.

Drexler esteve no Brasil novamente no início de junho com a turnê Silente, um olhar mais íntimo ao seu repertório, e outra vez  esse desejo veio a tona. Para dar conta de um repertório tão diverso, seria necessário uma divisão muito mais complexa, mas decidimos por alguns temas que conectam canções: Comunicação e Ferramentas; O Desejo; Lugar e a Ausência de; O Amor e o Encanto; A Música; A Solidão; A Calma e O Tempo.

Cópia de Comunicação e ferramentas _ Las canciones de Jorge

Comunicação e Ferramentas

Sempre me chamou a atenção a inteligência com que Jorge pensa a comunicação e como são afetadas pelas novas tecnologias. Nesta lista: a máquina, a linguagem e, principalmente, a relação dos devices sempre em mutação com os sentimentos que nunca mudam.

1“Perdonen que insista
En elogiar las telecomunicaciones
Aunque todos creen
Que han inventado algo
Y siguen siendo
Las mismas
Las canciones” (Telefonia)

“Hay manos capaces de fabricar herramientas
Con las que se hacen máquinas para hacer ordenadores
Que a su vez diseñan máquinas que hacen herramientas
Para que las use la mano” (Guitarra y vos)

 

O Desejo

O desejo na Música de Drexler é subjetivo, mas detalhado. Jorge é, antes de mais nada, um contador de histórias extremamente descritivo, e seu olhar para os caminhos e contradições do desejo não tem pudores.

8

“¡Inmersión! ¡Inmersión!
¡Cerremos las compuertas!
Aventurémonos hacia las inciertas
profundidades” (Mundo Abisal)

“Lo quiero todo, y tengo muy claro que no

Te voy a entender

Más que en parte.

Me importa mucho más

Verte vibrar, así,

Que descifrarte” (Quien Quiera Que Seas)

 

Lugar e a Ausência de

O cantautor uruguaio disserta com frequência sobre a liberdade de estar em movimento, de não ter um lugar fixo, de “ser” de todos os lugares. Porém, sempre retorna ao tema de suas raízes, seu país.

3

“Somos una especie en viaje
No tenemos pertenencias, sino equipaje
Vamos con el polen en el viento
Estamos vivos porque estamos en movimiento” (Movimiento)

“Como me cuesta marcharme
Me cuesta quedarme
Me cuesta olvidar
El olor de la tierra mojada
La brisa del mar
Brisa del mar…
Llévame hasta mi casa, brisa del mar
¿Dónde estará mi casa?, brisa del mar” (Un País Con El Nombre de Un Río)

 

O Amor e o Encanto

O amor e o desejo muitas vezes andam juntos no repertório de Jorge, mas diferente da playlist anterior, essa relação de canções perpassam um sentimento mais idílico. De encantamento.

2

“Dame una noche de asilo en tu regazo

Esta noche, por ejemplo, dejemos al mundo afuera

Abre tus brazos, ciérralos conmigo dentro” (Asilo)
“Mi corazón opaco
Inevitablemente cede
Se mueve a tu vaivén
Queda atrapado en

La trama perfumada de tus redes
La trama perfumada de tu redes

Te miro dormir y te nombro
Te miro y no salgo de mi asombro
Mi aliento te deletrea
Para que mi corazón te lea” (Organdí)

 

 

A Música

A metalinguagem também está presente em sua obra. O ato de cantar, dançar, contar histórias, também serve de inspiração para aquilo que Jorge canta.

6

“¿Y a dónde van las canciones?
Que soltamos en el viento
Llevando a qué corazones, quién sabe qué sentimientos
Quien tenga un verso que dar
Que abra la mano y lo entregue
Que a la flor de la poesía
No hay melancolía que no la riegue” (Abracadabras)
“Soy un pescador de sueños
Soy un catador de auroras
No cuento mas que con mi empeño
Y esta pluma voladora” (Quimera)

 

 

A Solidão;

A obra de Jorge Drexler nem sempre é tão solar e otimista, também há espaço para momentos de melancolia e/ou introspecção. A playlist Soledad aborda esse tema, com canções principalmente do álbum “12 segundos de oscuridad”.

5

“Soledad
Aquí están mis credenciales
Vengo llamando a tu puerta
Desde hace un tiempo
Creo que pasaremos juntos temporales
Propongo que tu y yo nos vayamos conociendo” (Soledad)

“Un faro para, sólo de día,
guía, mientras no deje de girar
no es la luz lo que importa en verdad
son los 12 segundos de oscuridad” (12 segundos de oscuridad)

 

 

A Calma 

Em oposição a lista anterior, essa relação de canções propõe um “respiro”, um olhar de tranquilidade.

7

“Calma,
Todo está en calma,
Deja que el beso dure,
Deja que el tiempo cure,
Deja que el alma
Tenga la misma edad
Que la edad del cielo” (Edad del Cielo)

 

 

O Tempo

A canção que encerra a última playlist não é de composição de Jorge Drexler e sim de seu conterrâneo Fernando Cabrera, mas a versão de El tiempo está después de Jorge resume bem o sentimento do contraditório que as obras sobre o tempo costumam apresentar. Uma lista sobre o que passa e sobre o que fica.

4

“Un día nos encontraremos
En otro carnaval
Tendremos suerte si aprendemos
Que no hay ningún rincón
Que no hay ningún atracadero
Que pueda disolver
En su escondite lo que fuimos
El tiempo está después” (El tiempo está después)

 

 


Meiri Farias

Café, música e quadrinhos são combustíveis para o que você encontra aqui. Jornalista especialista em Mídia, Informação e Cultura, com experiência em programação não-linear (VoD), produção de conteúdo e comunicação coorporativa, Meiri Farias é paulistana convicta e contraditória, latino-americana em descoberta e adora falar sobre isso. Tomando café, obviamente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s