2

Nossos vizinhos mais próximos, no Cone Sul do continente, já provaram a muito tempo que quadrinho é coisa de gente grande sim, mesmo quando o faz com a cara de gente pequena. Obras de artistas da Argentina e do Uruguai tem povoado minha estante há bastante tempo e certamente ganhariam destaque nessa lista. Entre o humor e a melancolia, esses artistas mostram que riso e drama são dois lados de uma mesma moeda.

 

Macanudo

IMG_20200509_160007356_HDR

O décimo volume da série de tiras do Liniers chegou ao Brasil no fim de 2019, mostrando mais uma vez que ninguém sabe fazer rir com tanta elegância quanto o argentino. Mesmo vivendo atualmente em Vermont, nos EUA, cada tira tem sotaque portenho e vale por uma viagem. Ainda nos primeiros anos do Armazém,escrevi uma resenha sobre o volume 1 de Macanudo e é curioso perceber que o espírito de susto e beleza segue o mesmo, mas sempre novo. 

 

Desenhos Invisíveis e Bagagem

 

IMG_20200509_155951741_HDR

As duas obras de Troche, publicadas no Brasil pela editora Lote 42 estão juntas nesse tópico porque ambos trazem propostas muito parecidas. Pequenas historinhas “mudas” sequenciais ou artes de uma página inteira revelam o mundo interior de um artista uruguaio que desenha beleza e melancolia. Beatriz Farias escreveu um pouco mais sobre Desenhos Invisíveis em 2016, vale reler.

 

IMG_20200509_160036289_HDR

Portas do Éden

Os quadrinhos do argentino Kioskerman (pseudônimo de Pablo Holmberg) apresenta uma fórmula muito simples e eficaz. Uma página, quatro quadros, uma historinha. Amor, encontros, medo e dúvida ganham reflexões abstratas, mas genuinamente intensas.

 

 

 

IMG_20200509_160022894_HDR

Toda Mafalda

 

A garotinha contestadora de Quino poupa qualquer apresentação, mas não me parecia correto propor uma viagem ao sul do continente sem uma paradinha na personagem mais famosa do país hermano. Mafalda com seu ódio a burocracia, repulsa a sopa e questionamentos infindáveis sobre a política e comportamentos sem sentido dos adultos marcou não somente os anos 1960, quando era regularmente publicada, mas tudo que se pensou sobre humor e política nos quadrinhos latino-americanos até hoje. É uma viagem à Argentina, mas um espelho do continente. A personagem é tão relevante na minha formação como leitora, que foi um dos objetos de estudo do meu trabalho de conclusão da minha especialização em Mídia, Informação e Cultura. É possível ler mais nolivro Mulheres & Quadrinhos, onde publiquei um capítulo sobre o tema ou no artigo original no site do Celacc.


 

MACANUDO 10: Liniers – Editora Zarabatana – 2019

DESENHOS INVISÍVEIS: Troche – Editora Lote 42 – 2013

BAGAGEM: Troche – Editora Lote 42 – 2016

PORTAS DO ÉDEN: Kioskerman – Editora Lote 42 – 2015

TODA MAFALDA: Quino – Editora Martins Fontes – 2010

 


A viagem segue: Relatos do Oriente Médio