Teatro

3

Para mais informações, clique no nome da peça.

Terça Tem Teatro – setembro azul

Setembro é o mês da mobilização nacional pelos direitos dos surdos, e o azul representa os movimentos sociais ligados à causa. O Terça Tem Teatro comemora o Setembro Azul e dá continuidade à interpretação em Libras em todos os espetáculos do mês – cinco no total. Eles são gratuitos e acontecem todas as terças-feiras às 20h.

No dia 1º Celson Frateschi e Laura Brauer interpretam o texto do portenho Eduardo Pavlovsky em Potestad. Com direção de Pedro Mantovani, a peça trata do rapto de crianças pelo governo argentino durante o período de ditadura militar.

Na semana seguinte (8) é a vez de O Amor É um Cachorro que Vem do Inferno, que conta com a dramaturgia do espanhol Javier Cuevas. O espetáculo foi concebido com base em textos dos escritores Charles Bukowsky e Georges Bataille.

A companhia Teatro Inominável, sob direção e dramaturgia de Diogo Liberano, apresenta Sinfonia Sonho no dia 15 de setembro. O enredo conta a história de Kevin – vivido pelo ator Márcio Machado –, que aos 9 anos foi capturado pelo desejo de se tornar música, com melodia, harmonia e ritmo.

Inspirado na bailarina italiana Marietta Baderna (1828-1870), BadeRna é um espetáculo teatral performático que acontece no dia 22. Nascida na Itália, Marietta ficou conhecida por ter se encantado com os ritmos africanos e introduzido alguns passos do lundu e da umbigada na dança clássica. A concepção geral é de Luaa Gabanini e a direção é de Roberta Estrela d’Alva.

A programação mensal do Terça Tem Teatro é finalizada com Madame Satã, espetáculo poético e político dirigido por Rodrigo Jerônimo e João das Neves, homenageado da 26ª edição do programa Ocupação. Terceira produção do Grupo dos Dez, a peça se vale da biografia de um dos mais peculiares personagens brasileiros para dialogar com questões que permeiam a crítica contra a homofobia e o racismo.

Programação completa no site

Dezembro

Com uma linguagem simples e direta, mas cheia de significados, o premiado dramaturgo chileno Guillermo Calderón nos apresenta de forma tragicômica as gêmeas Paula e Trinidad recebendo o irmão mais novo Jorge, recém chegado do front, para a noite de Natal. Em cena vemos emergir questões í­ntimas de suas existências enquanto do lado fora há uma guerra e a vida está convulsionada por sérios conflitos sociais e políticos. Elenco: Carolina Fabri, Michelle Gonçalves e Ernani Sanchez. Texto: Guillermo Calderón. Direção: Diego Moschkovich.
Após o espetáculo teremos um bate-papo com o elenco da peça e com a técnica do Sesc responsável pelo programa Intergerações, Lígia Damineli. Gratuito

Ao Pé do Ouvido. Com Núcleo Experimental

Sete pessoas que cruzaram o país de Norte a Sul. Como aves migratórias, vieram em busca de melhores oportunidades. Da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Maranhão para São Paulo, trilharam a rota dos milhares que, antes deles, começaram vida nova num Brasil tão diferente daquele onde nasceram – a babá, o porteiro, o pescador, a costureira, o pedreiro, o médico, a atriz.

O espetáculo é realizado em um formato de audiopeça, uma forma teatral na qual o texto usado pelos atores é construído a partir das palavras exatas ditas por um ou mais entrevistados, a respeito de um determinado fato ou assunto. O objetivo é atingir um grau de fidelidade e autenticidade que se aproximem ao máximo da natureza dos testemunhos originais – os atores, nesse caso, funcionam mais como veiculadores (quase como uma mídia) das palavras, ao invés de criarem personagens numa estrutura convencional. Em alguns países, a palavra verbatim é utilizada para designar essa modalidade de teatro, tomando emprestada a famosa marca de fitas cassete, muito popular nos anos 1970 e 80. $25/ 12,50

3 de setembro a 17 de outubro, 20h30  – SESC Pinheiros

Remetente: Gandhi

No espetáculo que conta a história do grande líder indiano, os atores têm a ajuda de um “telão encantado” e de forma dinâmica, lúdica e participativa reconstroem os momentos mais marcantes da vida de Mahatma Gandhi. LivreR$10. 1º de agosto à 6 de setembro (sáb e dom), 16h – Teatro Leopoldo Fróes

Minha cidade pode não ser a sua

Histórias da cidade que se sucedem. Narradores contam uma história, seus personagens contam outra. Os personagens desta contam mais uma história e, por fim, o ciclo se fecha quando se percebe que os primeiros narradores são também personagens. +12. Até 6 de setembro (sex, sáb), 20h (dom), 19h – Teatro Zanoni Ferrite

Hamlet ao molho picante

Releitura do famoso clássico de Shakespeare, o espetáculo se passa na cheirosa atmosfera da cozinha de Elsinore. Froggy, cozinheiro do castelo, descobre que sua esposa Cathy o traiu com o Rei Cláudio. Para se vingar, se disfarça do Fantasma do Rei Hamlet e aparece para o Príncipe Hamlet pedindo que o vingue, por ter sido o Claudio quem o matou. +12.R$10. Até 6 de setembro (sex e sáb), 21h (dom), 19h – Teatro Alfredo Mesquita

Celebração da Realidade. Com Teatro de Senhoritas

Espetáculo baseado em contos de O Livro dos Abraços de Eduardo Galeano. Através de uma linguagem sintética a peça conta fatos da história universal a partir de pequenos causos da vida cotidiana. As cenas relembram e apresentam fatos, mostram que o aconteceu lá pode também acontecer cá; acontecimentos históricos que interferem na vida privada; vida íntima que modifica fatos políticos. Isso nos convida a refletir sobre nosso protagonis­mo e pertencimento na construção da História, especialmente neste momento em que se discute tanto questões relacionadas a religião, cidadania, democracia e liberdade. Gratuito

11, 12 e 13 de setembro (sex), 21h (sáb), 19h e (dom), 20h – SESC Campo Limpo

O capote

Inspirado na obra de Nikolai Gogol (1821-1881), o espetáculo trata das desventuras de Akaki Akakievich, um escrevente de uma repartição pública de São Petersburgo que precisa se submeter a severas restrições a fim de conseguir economizar dinheiro para comprar um novo capote. R$10/ 5

Até 21 de setembro – sáb e seg,  20h; dom, 19h – Centro Cultural Banco do Brasil

Do Lado Direito do Hemisfério

A Cia Afeta mergulha nos meandros da mente humana para descobrir como se sente um indivíduo único entre 8 bilhões de pessoas no planeta. Primeira apresentação da companhia de mineiros em São Paulo, Do Lado Direito do Hemisfério usa a linguagem meta-teatral para adaptar livremente casos clínicos reais do escritor e neurologista inglês Oliver Sacks, sob direção de Nando Motta. Na peça, que  comemora 5 anos de existência da Cia Afeta, atores interpretam atores montando um espetáculo com a temática dos textos de Sacks, sem que os espectadores consigam diferenciar ficção de realidade. +14.R$10/ R$5. Até 25 de setembro (qua, qui e sex), 20h – Centro Cultural Banco do Brasil

Ana-me. Com teatro de senhoritas

Livremente inspirado no conto “Amor” de Clarice Lispector, Ana-me aborda questões relacionadas à vida cotidiana de forma bem humorada e poética. Ana é uma dona de casa que não fala por si só, mas sim através da sua relação com os objetos e com um rádio que a acompanha. Ela se encaixa em sua vida como um desses objetos, até ver um cego mascando chiclete e isso transforma sua percepção e a conduz para uma epifania. Nesse momento, seus olhos parados passam a enxergar e ela esboça uma possibilidade de transformação, e de encontrar um universo repleto de vida, perversidade, erotismo, tristezas, alegrias, ternura. Porém, ela precisa voltar para casa e preparar o jantar.

Retirada de ingressos 1 hora antes do início do espetáculo.

25, 26 e 27 de setembro (sex), 21h (sáb), 19h (dom), 20h – SESC Campo Limpo

Entre Nós – Uma comédia sobre diversidade

A peça é encenada por dois atores que tentam inventar, na hora, uma história de amor entre dois jovens gays. Para isso, eles se revezam na criação de treze personagens, enfrentam uma série de situações conflitantes e engraçadas até decidirem o destino dos protagonistas Rodrigo e Fabinho, num diálogo direto com a plateia e com intervenções de música ao vivo. Em 2012 Entre Nós foi vencedor em três categorias do Prêmio Braskem de Teatro 2d012 (Melhor Espetáculo, Melhor Ator – Igor Epifânio – e Melhor Texto).

27 de setembro (dom), 18h – Anfiteatro do Centro Cultural a Juventude

Aqui estamos com milhares de cães vindos do mar

Espetáculo baseado na coletânea de peças curtas Cuidado com as velhinhas carentes e solitárias, do romeno Matéi Visniec. É composto de 14 cenas curtas, todas em tons de cinza, branco e preto, desde a cenografia até a maquiagem. Visniec trata da vida no limite absoluto, em que as condições para a existência de cada personagem são testadas a partir de situações tragicômicas. R$ 20

De 11 de setembro a 25 de outubro (sex e sáb), 21h; (dom), 20h – Sala Adoniran Barbosa – Centro Cultural São Paulo

Godofredo e Alice

Godofredo é uma adolescente à procura de sua princesa. Alice, um adolescente à procura de seu príncipe. Eles se encontram por acaso (?) e veem na diferença a possibilidade para o amor. Só não esperavam enfrentar tantos desafios para viver uma relação nada convencional. +14. R$15; De 15 de agosto à 14 de outubro (ter e qua), 20h – CCSP

Amores Urbanos

Com depoimentos verdadeiros sobre a modernidade e as diversas maneiras de se relacionar numa grande metrópole, “Amores Urbanos” reúne três autores para falar a respeito da fragilidade das relações amorosas e afetivas da atualidade, tendo a tecnologia como pano de fundo para as discussões. São três histórias diferentes: “Jardim da Infância”, “Reconfigurar” e “Grupo de apoio para pessoas sentimentalmente muito bem resolvidas”, escritas por Clóvis Torres, Marcelo Rubens Paiva e Mario Bortolotto, respectivamente, sendo os dois últimos também diretores da peça juntamente com Clarisse Abujamra.

7 de agosto a 1º de novembro (sex e sáb), 21h30; (dom), 20h30 – MuBE

A menina que foi arquivada

Com Núcleo Cênico Projeto BaZar. Baseado em uma pesquisa desenvolvida no arquivo Miroel Silveira – USP – que contém mais de seis mil processos de censura ao teatro paulista, foi criado um conto sobre uma menina fruto de um aborto mal sucedido. Durante sua trajetória de vida, a menina encontra personagens históricos que a levam a ficar em dúvidas sobre quais caminhos seguir em escolhas morais.

18 de setembro (sex), 13h – Biblioteca Cassiano Ricardo

Sexo Verbal – Sacanagem não é o que fazemos na cama, é o que fazem conosco

Núcleo Cênico ProjetoBaZar. Com uma ex-prostituta como anfitriã e outros atores e público como convidados, a peça se propõe a trabalhar o universo da sexualidade humana baseando-se em palavras, imagens, rituais, fantasias, cultos, etc, e no universo literário. Os desejos e frustrações pairam acima de todos os personagens do espetáculo e são divididos em conversa direta com o público, ou ao pé do ouvido, ou em um pensamento que escapa da mente do personagem, ou aos gritos, como num quadro de Munch. Para maiores de 16 anos.

25 de setembro (ter), 19h – Biblioteca Cassiano Ricardo

 

Manuela

Manuela é uma história de amizade entre o escritor e sua máquina de escrever. É o nome dado por Mário de Andrade à sua máquina em homenagem ao escritor e amigo Manuel Bandeira. É do ponto de vista da máquina a narrativa da história. É ela que conta quem foi esse brasileiro, através da poesia e da correspondência do morador da Lopes Chaves e das suas reflexões de companheira. Concepção e dramaturgia: Vera Lamy. Direção musical e música original: Lincoln Antonio. R$20/30

De 1º de setembro a 7 de outubro (ter e qua) – SESC Ipiranga

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s